Ação quebra paradigmas dentro da Casa ao dar oportunidade para técnicos assumirem cargos gerenciais


Em abril deste ano uma vitória alegrou os técnicos que compõem o quadro do Tribunal de Contas da União (TCU). Em sessão deliberativa, os ministros do TCU aprovaram alterações na Resolução 154/2002, que dispõe sobre o exercício de funções de confiança no Tribunal. Ou seja, a mudança permitiu a ocupação de funções de confiança nível FC-5 por técnicos na Segedam (Secretaria-Geral de Administração) e na Segepres (Secretaria-Geral da Presidência).

Não demorou muito para que João Paulo Alexandre de Sousa assumisse a FC-5 na Segedam. Menos de um mês depois, ele foi convidado a assumir temporariamente o lugar do secretário Ricardo Fahn Pessoa. Inicialmente o período foi de 16 de maio a 25 de maio; agora ele segue na função de 11 de junho a 25 de junho, à frente da Secretaria de Segurança e Serviços de Apoio (Sesap).

“É gratificante esse reconhecimento. Nós acompanhamos a elaboração da norma e agora a vimos em prática. A Segedam comprou a ideia e incentivou a aprovação”, afirmou João Paulo. Ele também vê essa mudança como um incentivo de capacitação aos colegas de carreira e como uma oportunidade de interesse para o público externo.

João Paulo tomou posse no TCU em dezembro de 2015, já na Sesap. Durante todos esses anos acompanhou de perto o serviço e em 2016 se tornou assessor do secretário. Para ele, a oportunidade veio de forma natural, já que o outro auditor da equipe não podia assumir o cargo e ele acompanha de perto os processos.

Atualmente, a Sesap cuida de toda a parte de segurança e serviços de apoio do TCU. Só de trabalhadores terceirizados em postos diretos são 497 pessoas.

Para a diretora do Sindilegis, Simone Barbosa, esse “é um reconhecimento importante para os técnicos, que tem competência e habilidades gerenciais que contribuem para um TCU melhor a cada dia. Foi um passo que mostrou que o TCU não apenas disse, mas fez”.


Articulação

Ao longo do ano passado, o Sindilegis se articulou junto aos ministros do TCU para aperfeiçoar a Resolução 154/2002 – as alterações propostas foram capitaneadas pela União Nacional dos Servidores do TCU (UNA-TCU) em sede do TC 003.371/2015-8, de relatoria do ministro José Múcio Monteiro. O processo também contou com o apoio das entidades Associação Nacional dos Servidores Aposentados e Pensionistas do Tribunal de Contas da União (ASAP-TCU); Associações dos Servidores do Tribunal de Contas da União (ASTCU) e Auditar.


Ver todas as notícias