Assumi a vice-presidência do Sindilegis para o TCU com uma missão árdua: que o Sindicato faça mais e seja reconhecido por isso. A entidade, que há 28 anos representa os servidores do Legislativo e do Tribunal de Contas da União, foi de extrema importância para que nossas carreiras se tornassem tão visadas. Ainda assim, há muito a conquistar.

Sinto que os filiados ainda não compreenderam a grandeza do Sindilegis. Percebo que há uma necessidade latente de aproximação e transparência. Essa foi, inclusive, nossa proposta desde o período eleitoral.

Iniciamos essa gestão como protagonistas de ações contra a reforma da Previdência Social e nos unimos a entidades em prol do mesmo objetivo no movimento "A Previdência é Nossa! Pelo direito de se aposentar". Disso resultou o destaque na mídia, os atos, os manifestos públicos, as comissões e um trabalho enérgico de esclarecimento voltado para a sociedade e os servidores. E a batalha está apenas começando!

Na lista de demandas para os servidores do TCU, buscamos a articulação para aprovar os adicionais de fronteira, especialização e qualificação; ampliar o teletrabalho; aperfeiçoar o concurso de remoção; ter mais autonomia para gozo de licença-capacitação; equalizar a gratificação de Controle Externo para os Técnicos e muito mais.

Falando assim, pareço estar resumindo ações de uma gestão inteira, mas esse é só o começo.

Paulo Martins

Vice-presidente do Sindilegis para o TCU